Última hora

Última hora

Rússia: Imigrantes ilegais podem chegar aos 12 milhões

Em leitura:

Rússia: Imigrantes ilegais podem chegar aos 12 milhões

Tamanho do texto Aa Aa

A Imigração é um dos fatores mais importantes nas eleições russas deste domingo. Milhões de pessoas tentam, todos os anos, fugir à pobreza noutras ex-repúblicas soviéticas, sobretudo na Ásia Central, e chegam à Rússia.

Fazem, sobretudo, trabalhos mal pagos, que exigem poucas habilitações. Bakht Izdachev supervisiona um pequeno grupo de trabalhadores imigrantes: “Se contar os meses que um imigrante trabalha aqui, cinco meses por exemplo, ele ganha, no máximo, o equivalente a entre 700 e 900 euros, pelo total dos cinco meses de trabalho. E tem mulher e filhos para sustentar.

O Serviço Federal das Migrações estima que, este ano, tenham entrado 1,7 milhões de imigrantes legais. Segundo o Banco Mundial, o número de ilegais pode ser de até 12 milhões.

São pessoas que vivem, em condições muito difíceis, sob uma ameaça permanente de expulsão do país. São vulneráveis e estão expostos ao abuso dos empregadores, à violência e à corrupção, que muitas vezes os obriga a pagar subornos. Este ano, segundo uma organização, os grupos neonazis mataram 11 imigrantes.

As tensões étnicas e o nacionalismo estão a escalar na Rússia. Os ativistas dos direitos humanos dizem que as autoridades fecham, há muito tempo, os olhos à xenofobia.

Segundo muitos analistas, número crescente de migrantes vindos da Ásia continua a alimentar os sentimentos xenófobos e racistas, sobretudo junto dos mais jovens, que temem perder o emprego.

Nikolai Petrov, analista no Carnegie Centre, não concorda com essa posição: “O problema não é que os imigrantes estejam a roubar o emprego aos russos. O problema é que as empresas preferem contratar este tipo de mão-de-obra, que é submissa e silenciosa”.

Este fluxo migratório é necessário para a economia russa. Estima-se que o contributo seja de 50 mil milhões de dólares por ano, cerca de 4% do PIB. Os imigrantes representam já entre três e 5% da força de trabalho do país. Mas a procura pode aumentar ainda mais, no futuro. A população russa, que é agora de 143 milhões, pode baixar 40 milhões até 2050.