Última hora

Última hora

Saídas para a crise do gregos inspiram-se na ocupação alemã

Em leitura:

Saídas para a crise do gregos inspiram-se na ocupação alemã

Tamanho do texto Aa Aa

A Grécia enfrenta, pelo terceiro ano consecutivo, uma total austeridade e a situação parece apenas piorar.

O orçamento prevê mais cortes salariais e subida de impostos e desemprego técnico.

Concretamente, os gregos assistiram a uma degradação brutal do nível de vida. Todos os setores sofrem, mesmo a alimentação.

Cidadão de Atenas:

“- A situação é dura. Temos de contar bem o dinheiro. O que antes custava 1.20 ou 1.80 passou a custar o dobro, por isso recebemos metade do produto, se a família tiver o mesmo que antes.

Neste contexto, a publicação do livro “Receitas da Fome: a vida em Atenas durante a ocupação” tornou-se um best seller. Já foi reeditado um ano depois de sair. A autora reuniu os artigos publicados durante a II Guerra Mundial, em que os gregos sofreram a fome, Eleni Nikolaidou:

“- Os guias de sobrevivência copseguiram salvar os atenienses durante essa época, e imaginei que nos podiam ajudar agora, especialmente à classe trabalhadora mais pobre, com problemas para chegar ao fim do mês”.

Um jovem chefe, conhecido autor de um livro de cozinha tornou-se famoso na televisão com receitas baratas. A austeridade chegou aos pratos e preciso fazer com o que há.

FT Blessas:

“- As lojas estão cheias de alimentos, mas nós não os podemos comprar. É preciso saber gastar e comer o que se comia durante a ocupação alemã, tal como os feijões e tudo o que há em grão”.

Outro fator que denuncia a situação frágil da Grécia é o encerramento de 60 mil empresas e lojas nos dois últimos anos. O presidente da confederação do comércio, Vasilis Korkidis, anuncia mais ações:

“- O relatório vai ser traduzido e enviado para a troika para que observem os resultados das medidas e, melhor, para verem o que nos fizeram. Merkel definiu a crise do euro como uma maratona. Pois a crise da dívida grega faz-nos correr como em seis maratonas. “

2012 não será melhor: prevê-se mais 60 mil fechos de PME’s.