Última hora

Última hora

BCE não será credor mas gestor dos fundos de resgate

Em leitura:

BCE não será credor mas gestor dos fundos de resgate

Tamanho do texto Aa Aa

O Banco Central Europeu não será o credor de último recurso mas um agente dos dois fundos de resgate da zona euro.

A instituição vai continuar a comprar obrigações dos países mas de forma limitada. Segundo o jornal alemão, Frankfurter Allgemeine, o BCE tem um limite semanal de 20 mil milhões de euros e, desde meados de setembro, não têm superado os dez mil milhões por semana. Fontes do BCE garantem que não há razões para mudar.

O programa de compra de títulos da dívida foi lançado em maio de 2010 e reativado em agosto último face à pressão sobre Espanha, Grécia e Itália. Até 5 de dezembro, o BCE tinha gasto 207 mil milhões de euros.

Para o analista Robert Halver “se os políticos conseguirem uma solução convincente para a crise, os investidores deverão começar a comprar obrigações estatais. Ainda falta liquidez e isso só pode vir do Banco Central Europeu”.

Foi o que fez. O BCE concedeu mais liquidez aos bancos e agora será responsável pela gestão dos dois fundos de resgate europeus. O objetivo é usar a sua credibilidade junto dos mercados para fazer baixar as taxas de juros das obrigações.