Última hora

Última hora

Bruxelas ainda não acordou do Pesadelo Cameron

Em leitura:

Bruxelas ainda não acordou do Pesadelo Cameron

Tamanho do texto Aa Aa

O Primeiro-Ministro britânico isolou-se na cimeira europeia, mas, no Reino Unido, nem toda a gente compreendeu a sua decisão.
 
Votou contra a harmonização fiscal e o controle orçamental e as reações são mais negativas do que David Cameron podia pensar.
 
Os parceiros europeus não gostaram. Londres afastou-se mais de Bruxelas, criando distâncias que nunca existiram, mesmo no tempo de Margareth Teatcher.
 
David Camerou pode ter posto em causa o Mercado Único.
 
Esse aviso é feito agora pelo seu parceiro de Governo, o lider dos liberais, Nick Cleg:
  
“Todos os eurocéticos esfregaram as mãos de contentes, com o resultado da cimeira, mas devem ser cuidadosos e saber o que desejam. Há um risco potencial de uma Europa a duas velocidades, com o Reino Unido marginalizado. Isso pode ser mau para o crescimento e para os trabalhadores deste país”.
 
Liberais insatisfeitos com os resultados da cimeira e com o afastamento britânico, na Europa.
 
Nas ruas as reações não são melhores. E Cameron é acusado de populismo, contra os interesses nacionais:
 
“Ele perdeu  o respeito dos líderes europeus, perdeu o respeito das pessoas e do seu próprio governo. Ele perdeu, em geral, o respeito dos cidadãos”, diz uma mulher. 
 
“Eu penso que é uma decisão populista, uma decisão para usar no Reino Unido. Não o fez em benefício do país, mas para beneficiar a sua própria popularidade”, diz outra mulher de Londres.
 
E toda a gente agora olha para o comércio britânico. Se lhe faltar o mercado europeu, o crescimento pode estar em risco, com o  consequente aumento do desemprego.