Última hora

Última hora

Oposição russa consegue mobilização maciça contra Putin

Em leitura:

Oposição russa consegue mobilização maciça contra Putin

Tamanho do texto Aa Aa

Para além da guerra de números habitual, entre 50 mil a 100 mil pessoas, só em Moscovo, há um facto que parece inegável: este sábado, a Rússia viveu a maior manifestação durante a era Putin.

As denúncias sobre as alegadas fraudes eleitorais desencadearam uma onda de indignação que mobilizou milhares e milhares de pessoas, em todo o país.

O principal palco dos protestos foi, claro, na capital. Num dos ajuntamentos, o escritor Boris Akunin declarou que já não via Moscovo assim “há 20 anos e pensava que nunca mais a iria ver desta forma”, agradecendo aos moscovitas esta coletiva expressão de descontentamento.

Vladimir Putin chegou ao poder em 2000. Cumpriu dois mandatos presidenciais, cedeu o lugar a Dmitri Medvedev e pretende regressar a essa função no próximo mês de Março.

É contra o círculo contínuo de influência que os manifestantes se insurgem. Um moscovita fazia eco das motivações: “estou farto das autoridades, das trocas de lugares perante o país inteiro. Foi a última gota; o que está agora à superfície, esteve a crescer durante anos.”

As apertadas medidas de segurança contiveram o fluxo dos protestos em áreas circunscritas, de acesso controlado pela polícia, tal como Putin ordenou.