Última hora

Última hora

Empresa desenvolve novos lasers de fibra

Em leitura:

Empresa desenvolve novos lasers de fibra

Tamanho do texto Aa Aa

“Estamos a trabalhar numa nova geração de lasers baseada na fibra ótica, que tem uma boa qualidade de feixe, imensa potência e são mais fáceis de usar e de transportar”, afirma David Pureur da empresa francesa Quantel.

O laser está em toda a parte, desde os computadores portáteis aos satélites. São uma parte vital da vida moderna.

Graças à potência e à natureza compacta, os lasers de fibra são ótimos para a indústria, mas a empresa francesa Quantel quer dar-lhes todo um novo leque de aplicações.

“Procuramos desenvolver lasers visíveis, de diferentes cores (verdes, amarelos, vermelhos) de alta potência, para aplicações médicas”, diz o engenheiro Mathieu Jacquemet.

Depois de meses de trabalho, os investigadores começaram a aperfeiçoar os lasers coloridos de fibra.

“Trabalhamos em oftalmologia, em tudo o que é correção da retina. Portanto, necessitamos de cor para penetrar no olho e temos necessidade de potência para realizar aquilo a que chamamos um processo de fotocoagulação, para corrigir o defeito da retina”, explica Pureur.

Encontrar o comprimento de onda certo para cada cor é apenas um passo. Os engenheiros precisam também de combinar a alta potência com um feixe finamente concentrado.

Ora, o que há lá dentro? “Neste tipo de laser de fibra, temos vários componentes-chave. O primeiro é este tipo de laser, o segundo componente-chave é a fibra ótica. E, em seguida, para transformar a luz infravermelha do laser de fibra num feixe visível, focamos o laser nestes cristais não lineares, que permitem transformar a luz infravermelha do laser numa luz visível”, responde Jacquemet.

A Quantel está a trabalhar com outros parceiros tecnológicos num projeto da União Europeia sobre lasers de fibra.

“Existem pessoas que desenvolvem componentes, como fibras óticas, bombas de diodo, cristais particulares. E o interessante reside em trabalhar toda a cadeia de integração, de forma a que nós, Quantel, que montamos estes diferentes elementos, tenhamos uma melhor especialização do que os nossos concorrentes”, sublinha David Pureur.

“Hoje, os lasers de fibra atingem várias dezenas de milhares de watts numa fibra muito pequena e isso vai continuar a aumentar”, realça Pureur.

Quantel website

LIFT project website