Última hora

Última hora

Al-Hashemi nega acusações

Em leitura:

Al-Hashemi nega acusações

Tamanho do texto Aa Aa

O vice-presidente iraquiano, Tarek al-Hashemi, negou, esta terça-feira, ter alguma vez participado em crimes e aceita ser julgado.

Al-Hashemi exige que o julgamento decorra na região curda semi autónoma, no norte do Iraque.

Caso a condição seja aceite, o vice-presidente diz estar “pronto para comparecer diante de um juiz e os guarda-costas também.” Al-Hashemi diz ainda ter “notas e acusações contra a investigação preliminar que foi realizada pela brigada de Bagdade ou pela Polícia Federal ou pelos serviços secretos militares.”

A emissão do mandado de detenção contra al-Hashemi foi confirmada, segunda-feira, em conferência de imprensa pelo porta-voz do Ministério do Interior Adil Daham.

Segundo o governo os guarda-costas do vice-presidente planearam e cometeram atentados com o patrocínio de al- Hashemi.

A Casa Branca apelou ao diálogo e diz estar a acompanhar a situação.

“Posso assegurar que estamos a analisar a situação, a analisar os relatórios de que um mandado de detenção foi emitido em nome do vice-presidente Tareq al-Hashemi no Iraque. Estamos a falar com todos os partidos e expressámos a nossa preocupação em relação aos últimos desenvolvimentos,” assegurou o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney.

Com mais uma crise política em mãos, teme-se que o sectarismo aumente no seio político do país.

Os últimos dias foram marcados por um aumento das tensões entre xiitas e sunitas, com os líderes políticos das duas fações a trocarem acusações.