Última hora

Última hora

"Genocídio arménio" aumenta tensão entre a França e a Turquia

Em leitura:

"Genocídio arménio" aumenta tensão entre a França e a Turquia

Tamanho do texto Aa Aa

A Turquia chamou o seu embaixador em Paris, depois de, esta manhã, o parlamento francês ter aprovado um decreto-lei que penaliza as atitudes de negação da existência do genocídio e em particular do genocídio arménio de 1915.

No exterior da assembleia nacional, cerca de quatro mil pessoas – membros da comunidade turca em França – concentraram-se em protesto:

“Não sabemos o que têm contra nós. Esta questão arménia já tem quase um século. Isto só serve para criar tensões”, afirma um dos manifestantes.

O diploma foi aprovado em primeira leitura. Se vier a ser aplicado, prevê uma condenação até um ano de prisão e 45 mil euros de multa para quem negar os genocídios.

Para este arménio, nascido na Turquia, que vive há 38 anos em França. É um momento histórico:

“Satisfação. Sinto uma grande satisfação, as nossas avós não mentiram, os nossos avôs não mentiram. Foram submetidos a este genocídio. Alguns sobreviveram outros não”.

Em França, em algumas regiões, já foram erigidos monumentos às vítimas do genocídio arménio

A tensão tem vindo a crescer entre Paris e Ancara. O primeiro-ministro turco tinha enviado uma carta a Nicolas Sarkozy avisando que as relações políticas e económicas entre os dois países podem sofrer graves consequências.