Última hora

Última hora

Arménios na Turquia contra medida do parlamento francês

Em leitura:

Arménios na Turquia contra medida do parlamento francês

Tamanho do texto Aa Aa

A aprovação pelo parlamento francês do projeto-lei que torna ilegal negar o genocídio arménio de 1915 provocou a consternação na Turquia.

Centenas de pessoas protestaram em frente à embaixada de França em Ancara, com o Partido Nacionalista a liderar.

Para a comunidade arménia, a viver na Turquia, este reconhecimento acaba por ser contraproducente.

Robert Koptas, jornalista de um dos jornais arménios de maior prestígio na Turquia considera que a medida veio desviar a atenção do trabalho que se tem vindo a realizar, nos últimos anos.

“Neste momento, enquanto não houver consciência na Turquia sobre a questão, enquanto o povo turco não souber o suficiente sobre isso, punir indivíduos que negam esse passado num país estrangeiro, como em França, sentenciá-los a um ano de prisão e a pagar uma pesada multa de 45 mil euros, não me parece certo,” conclui o jornalista.

Koptas evidencia ainda que “a reação na Turquia é, em geral, extrema. Por isso, esta lei vai prejudicar os nossos esforços para discutirmos o assunto. Desvia a atenção do nosso diálogo com a sociedade e dá mais argumentos aos nacionalistas e a todos aqueles que negam esse passado. Quando França limita a liberdade de expressão, as restrições à liberdade de expressão aqui, ficam legitimadas.”

Na Assembleia turca, o grupo de amizade franco turco cessou funções. Os membros decidiram, desta forma, protestar contra a medida do parlamento francês.