Última hora

Última hora

Implantes mamários: Governo britânico não vê motivo para alarme

Em leitura:

Implantes mamários: Governo britânico não vê motivo para alarme

Tamanho do texto Aa Aa

O governo francês reconheceu, esta sexta-feira, o perigo que os implantes mamários da PIP podem ter para a saúde. Pediu que cerca de 30 mil mulheres retirem as próteses, a título preventivo.

O governo britânico, por seu lado considera que não há razão para alarme. Estima-se que 40 mil a 50 mil mulheres têm, no Reino Unido, implantes mamários desta marca.

A atitude do governo deixa indignada Susan Craney, de um grupo britânico de apoio a mulheres com implantes da PIP.

“Não podemos ter duas regras diferentes, com os franceses a terem uma e nós outra. Estamos todas no mesmo barco, temos os mesmos implantes,” conclui.

Mais de 250 britânicas apresentaram queixa contra as clínicas onde adquiriram os implantes mamários.

O governo britânico diz não haver provas de que as próteses provoquem cancro.

“Estamos numa posição onde não temos preocupações de segurança e não há evidências que justifiquem dar o passo de rotina de remoção de implantes. Recordemo-nos que a remoção de um implante requer uma operação com anestesia e isso é, por si, um risco,” avança o secretário de estado da saúde britânico, Andrew Lansley

As próteses PIP apresentam defeitos e suspeita-se que tenham causado a morte a pelo menos duas mulheres em França.

Estima-se que, em todo o mundo, cerca de 300 mil mulheres receberem implantes mamários da fabricante francesa.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde diz que, para já, não há motivo para alarme.