Última hora

Última hora

A afirmação do poder no luto norte-coreano

Em leitura:

A afirmação do poder no luto norte-coreano

Tamanho do texto Aa Aa

No dia que se seguiu ao funeral de Kim Jong-Il, o regime norte-coreano encenou uma derradeira manifestação de luto que foi, igualmente, uma impressionante demonstração de poder.

Mais de cem mil militares e populares vieram saudar o novo líder, na Praça Central de Pyongyang. O tempo agora é de consolidar uma nova autoridade. O presidente do parlamento declarou Kim Jong-Un como “o comandante supremo” de um país que vai conseguir “transformar a dor numa coragem mil vezes maior do que antes.”

Três minutos de silêncio foram observados, após os quais soaram sirenes.

As exéquias de Kim Jong-Il fecharam um ciclo que deixou o país mais isolado e mais pobre, mas com um poderio nuclear mais desenvolvido.