Última hora

Última hora

Hungria: Sem-abrigo ameaçados de prisão

Em leitura:

Hungria: Sem-abrigo ameaçados de prisão

Tamanho do texto Aa Aa

A vida dos sem-abrigo na Hungria é cada vez mais difícil, mas a culpa não é só do inverno. No início de dezembro entrou em vigor uma lei que pode conduzir os sem-abrigo à prisão, se forem apanhados duas vezes a dormir em locais públicos no prazo de seis meses.

“Enviar gente para a prisão só porque estão a dormir, é incrível. Onde é que essas pessoas vão dormir se não têm sítio melhor? E depois, vão passar multas às pessoas por dormirem nas ruas, mas como é que as vão pagar?” – questiona uma mulher que encontrou refúgio numa floresta nos arredores de Budapeste.

Mate Kocsis, presidente da junta de uma das freguesias da capital húngara, defende a legislação: “Ninguém vai ser enviado para a prisão nem vai ser multado por ser sem-abrigo. Essas afirmações distorcem a realidade. A essência desta lei é a prevenção.”

Os sem-abrigo apenas são autuados se dormirem nas ruas de localidades dotadas de centros de acolhimento de emergência. Mas as associações de defesa dos sem-abrigo denunciam casos de assédio. Os críticos acusam o governo de direita de querer esconder a miséria. O número de lugares nos centros de acolhimento é insuficiente para responder as necessidades do país. Finalmente, a diária de um detido custa mais ao Estado do que a ajuda social de um sem-abrigo.