Última hora

Última hora

Candidatos republicanos no Estado do Iowa

Em leitura:

Candidatos republicanos no Estado do Iowa

Tamanho do texto Aa Aa

Cerca de 130 mil eleitores republicanos do Estado do Iowa vão às urnas esta terça-feira para eleger o candidato ao escrutínio presidnecial.

As sondagens situam o mormon Mitt Romney à frente, seguido de perto por Ron Paul e Rick Santorum.

Romney, já favorito em 2008, terminou em segundo lugar há quatro anos. Desta vez, o ex-governador do Massachusetts parece ser o candidato com mais possibilidades de enfrentar Obama numa campanha baseada nas questões económicas e no desemprego, com uma taxa de 8,5%.

Mitt Romney:

“-O rendimento médio nos Estados Unidos diminuiu 10% nos últimos quatro anos. Como pode dizer o presidente que não é um fracasso? Fracassou em fazer funcionar a economia, fracassou na ajuda à classe média e a razão por que fracassou é por ter olhado mais para a Europa do que para os Estados Unidos.”

O congressista Ron Paul, muito bem organizado no Iowa, pode ganhar com o voto dos independentes e dos democratas desiludidos, o que não acontecerá noutros Estados, se ganhar este caucus.

Ron Paul:

“- Alguns estão a retirar pessoalmente vantagens desta crise. Wall Street fugiu às responsabilidades e passou o ónus da dívida para os contribuintes. E deve passar a ser ao contrário .”

O católico devoto Rick Santorum parece ir de vento em popa. Conta com o voto dos evangelhistas, e como o dos rivais. Ex-senador pela Pensilvania ataca bastante a política de Obama e apresenta-se como o candidato com o melhor projecto:

Rick Santorum:

“- Acho que somos os melhores para executar o plano que fará com que o país mude radicalmente moral, cultural, económica e fiscalmente e também no plano da segurança nacional. Estamos mellhor situados para enfrentar a Barack Obama e ganhar estas eleições”.

Newt Gingrich, ex-presidente da Câmara dos Representantes perdeu terreno depois dos ataques de Ron Paul e dos aliados de Romney, que têm recordado aos eleitores que Gingrich foi consultor no Fannie Mae, o gigante dos empréstimos imobiliários.

Michele Bachmann Michele Bachmann, é a candidata do Tea Party, que ajudou o Partido Republicano a conquistar a maioria da Câmara dos Representantes nas eleições legislativas de 2010, mas com uma influência que pode ser negativa nas eleições presidenciais de 2012.

O governador do Texas, Rick Perry, é o último da lista e apelou aos eleitores para não se concentrarem na ala radical mais conservadora, aludindo a Romney, que terá mais dificuldade a impôr-se a nível nacional.

DUPLEX

Euronews: A nós junta-se, agora, a partir de Iowa, Aaron Katersky, correspondente do canal televisivo ABC.

Temos visto que os candidato republicanos às eleições estão sempre a mudar. Por vezes estão em alta, outras em baixa. Até que ponto este concurso vai ser decisivo?

Katersky: “A liderança mudou sete vezes, de acordo com as pesquisas de opinião em Iowa, ao longo desta corrida. Agora, pela primeira vez, os americanos vão ter a oportunidade de votar e, em alguns casos, aqui em Iowa pode ser, apenas, um nome escrito num pedaço de papel e colocado num chapéu. Independentemente da forma como possa ser feito, dá ao público a ideia de quem está no topo e de quem pode seguir em frente.”

Euronews: Como disse dá uma ideia de como estão posicionados os candidatos. No entanto, temos visto alguns dos principais candidatos, como Mitt Romney, Ron Paul, a ignorar este Estado. A que acha que isso se deve?

Katersky: “Bom, eles nunca pensaram que tinham grandes possibilidades. Mitt Romney sempre teve as suas raízes em Nova Inglaterra. Foi governador de Massachusetts, vizinho de New Hampshire – onde se joga a primeira primária do país – e onde sempre se pensou ter a mais forte base de apoio.

Mas depois de ver os rivais a ir e vir, Mitt Romney apercebeu-se que podia ganhar no Iowa. Nunca nenhum candidato que tenha ganho no Iowa e em New Hampshire, perdeu a nomeação. Por isso, se Mitt Romney, for bem-sucedido na terça-feira neste Estado, tem boas hipóteses de ser o candidato republicano.”

Euronews: E se isso não acontecer, acredita que pode fatal para a campanha de Romney?

Katersky: “Provavelmente não. Não é preciso, necessariamente, ganhar em Iowa, mas tem que ficar entre os três primeiros. Nenhum republicano abaixo do terceiro lugar neste Estado, conseguiu a nomeação. São precisas as medalhas de ouro, prata e bronze para conseguir. Pelo menos é o que revela a história. Mas há mais de 40 anos, que a ala republicana não tinha tantos candidatos à altura para a nomeação do partido. Por isso, este é um ano diferente de todos os outros e onde tudo é possível.”

Euronews: Visto que a maioria da população está indecisa em quem aposta?

Katersky: “Longe de mim apostar, não sou um homem de apostas. Mas há algumas coisas podem acontecer: Mitt Romney e Ron Paul, vão tentar o primeiro lugar e Rick Santorum, um nome favorito entre os conservadores ligados à cultura, saltou para o terceiro lugar. E embora tenha um apoio limitado, pode ser suficiente para conseguir uma vitória em Iowa. E isso poderia levá-lo mais longe a dar-lhe visibilidade. Nenhum candidato republicano falou em abandonar a corrida neste momento, por isso, podemos ter semanas, senão meses, de campanha pela frente.”