Última hora

Última hora

Cristãos do Iraque receosos com retirada americana

Em leitura:

Cristãos do Iraque receosos com retirada americana

Tamanho do texto Aa Aa

A comunidade cristã do Iraque teme pela segurança, agora que as tropas norte-americanas se retiraram do país.

No bairro cristão de Bagdade, muitas casas estão agora vazias, muitos membros da comunidade decidiram deixar o país. Temem a repetição de ataques como o da Al Qaida, em outubro de 2010, que matou 44 pessoas.

O Patriarca do Iraque e o diretor de uma agência francesa para a cristandade no Oriente testemunharam à euronews: “Desejo, do fundo do coração, que todos os cristãos fiquem neste país. É o país dos nossos pais, dos nossos antepassados e encorajamos todos a ficarem cá”, diz o cardeal Emmanuel Delly.

Pascal Gollnisch, diretor da associação “Oeuvres d’Orient”, explica o problema de fundo: “No Iraque há três grandes grupos: os curdos, os sunitas e os xiitas. Todos têm um território, um governo local e uma milícia. Mas os cristãos não têm nenhuma dessas três coisas”.

A população cristã do Iraque baixou para metade desde o início da guerra em 2003. Era então de cerca de um milhão de pessoas.