Última hora

Última hora

Cargueiro encalhado ao largo da Nova Zelândia parte-se em dois

Em leitura:

Cargueiro encalhado ao largo da Nova Zelândia parte-se em dois

Tamanho do texto Aa Aa

O cargueiro encalhado há três meses num recife ao largo da Nova Zelândia partiu-se em dois na noite de sábado para domingo, provocando receios de uma nova maré negra.

As duas partes do Rena, com bandeira da Libéria, separaram-se depois do navio ter sido atingido por ondas de até sete metros. Centenas de contentores caíram ao mar.

O ministro neozelandês do Ambiente reconhece que “a recuperação dos contentores da popa do navio tornou-se bastante mais difícil devido à extensão dos danos sofridos pelo cargueiro”.

O Rena encalhou a 5 de Outubro num recife ao largo de Tauranga, na ilha Norte da Nova Zelândia. O comandante do navio e o segundo oficial, ambos de origem filipina, foram acusados de conduta perigosa e vazamento de substâncias tóxicas, já que as autoridades neozelandesas suspeitam que terão conduzido o navio demasiado próximo da costa para tentar ganhar tempo.

A zona de interdição de navegação foi alargada devido aos contentores e destroços libertados pela rutura da última noite.

Depois de terem extraído mais de mil toneladas de combustível do navio desde Outubro, os serviços de emergência marítima acreditam que o potencial para uma nova maré negra é, apesar de tudo, bastante inferior à registada quando o navio encalhou.