Última hora

Última hora

Três propostas ecológicas

Em leitura:

Três propostas ecológicas

Tamanho do texto Aa Aa

Após as festas do Natal, muita gente não sabe o que fazer às suas árvores de Natal vivas que são frequentemente atiradas para o lixo.

Do Canadá veio a ideia de uma reciclagem útil e amiga do ambiente.

Thom van Eeghan descobriu que as árvores são uma fonte nutritiva e saborosa para alimentar os 80 alces que está a criar na sua exploração, nos arredores de Ottawa.

A ideia surgiu há cinco anos, quando percebeu que os alces gostavam do sabor.

Em vez de atirar a árvore ao lixo, deu-a aos alces que as adoraram. Agora, todos os anos, van Eeghans recicla as árvores de 20 a 30 dos seus vizinhos.

Os animais rejeitaram, no entanto, algumas árvores, que foram tratadas com produtos químicos:

“Algumas pessoas preservam as árvores com produtos químicos, para travar a queda das agulhas. Penso, e isto é interessante, que os alces nessas não tocaram. Querem a árvore, como ela sempre foi”.

Van Eeghan diz que os alces comem geralmente aveia e feno, mas as agulhas do pinheiro constituiem uma boa fonte da vitamina C e são uma refeição saborosa.

O biólogo e ecologista esloveno Matevz Lenarcic programou uma viagem à volta do mundo, com início em 8 de Janeiro, num avião ultra-ligeiro, partindo do Aeroporto de Brnik, perto de Ljubljana, a capital da Eslovénia.

Durante a sua aventura, Lenarcic visitará 50 países, com níveis recorde da poluição do ar, nas regiões onde poucas medidas de preservação foram tomadas.

Por exemplo, o Continente Antárctico, África e ainda os oceanos Atlântico e Pacífico.

“Este é um voo à volta do mundo, com um avião ultra-leve, que usará menos quantidade de combustível, o que é muito importante, nesta época de crise económica e de poluição ambiental. O voo ocorrerá através do hemisfério do sul e cobrirá uma distância de uns 100 mil quilómetros, cruzando o Equador seis vezes, todos os três oceanos, o continente antárctico,o Monte Everest, e uns 120 parques nacionais”, diz o cientista.

O avião está equipado com recetores de aerossol para reter as amostras de carbono preto a bordo, o segundo agente mais importante, na mudança do clima.

Um tubo transporta depois a amostra de carbono negro até ao instrumento na cabina que vai registar níveis, enquanto o cientista voa em várias regiões do mundo.

Ele espera bater recordes para um avião ultra ligeiro, e que utiliza menos combustível, numa volta ao mundo.

No estado australiano de Tasmânia, as águias nativas estão sob ameaça, devido à destruição do seu habitat natural.

O seu salvador, Craig Webb, preocupa-se com as águias, recolhendo 12 delas, na sua reserva natural.

Algumas foram feridas, ao colidirem com cabos eléctricos. Os especialistas dizem que o habitat natural destas aves está a ser destruído rapidamente

O resultado foi a eliminação de grande parte da população de águias, na região.

“Elas não têm qualquer lugar para se aninhar, para se defender e não se conseguem reproduzir. E isso é muito importante”.

Enquanto as limitações decididas pelo Governo não se aplicarem, os latifundiários podem colher até cem toneladas de madeira, sem qualquer licença.

Numa zona intermédia de 10 hectares, vigoram medidas de presevação. Mas a propriedade privada está isenta desta determinação.