Última hora

Última hora

Tunisinos dizem que a revolução não está completa

Em leitura:

Tunisinos dizem que a revolução não está completa

Tamanho do texto Aa Aa

Faz hoje um ano que a Tunísia viu partir Ben Ali.

A revolução do Jasmim como ficou conhecida inspirou o mundo, mas dentro do país reina a desilusão.

Este sábado, milhares de pessoas saíram à rua para reivindicar o cumprimento das metas da revolução que dizem ter ficado pelo caminho.

O desemprego afeta cerca de um milhão de tunisinos e a justiça, garantem, está longe de ser uma realidade.

“Há mais de seis meses que estou em sofrimento e ninguém se preocupa comigo. Há meio ano prenderam o meu filho, sem qualquer justificação. Foi à esquadra da polícia e nunca mais voltou” afirma um homem.

“Estamos de luto. O regime no poder ofereceu-nos este dia para celebrar a revolução e convidou o emir do Qatar para assinalar a data. Por isso, queremos agradecer o facto de ter vendido a Tunísia a estas pessoas” refere uma mulher.

Euronews: “ Em dia de aniversário, a revolução tunisina está longe de atingir os objetivos. A população está na rua para assinalar a data, mas também para lembrar aos líderes que a revolução, que fez cair Ben Ali, é capaz de fazer o mesmo com outros dirigentes que não tenham aprendido a lição.”