Última hora

Última hora

Síria:Ban Ki-Moon pede intervenção do Conselho de Segurança da ONU

Em leitura:

Síria:Ban Ki-Moon pede intervenção do Conselho de Segurança da ONU

Tamanho do texto Aa Aa

Ban Ki-Moon quer que o Conselho de Segurança das Nações Unidas aja para acabar com a crise síria e que a missão da Liga Árabe no país prossiga.

O secretário-geral da ONU, que já tinha pedido ao conselho para falar a uma só voz sobre esta questão, pede agora que os membros permanentes reconheçam a gravidade da situação e ajam de forma coerente:

“Sei que há algumas diferenças de opinião entre os estados membros do Conselho de Segurança, mas o número de vítimas atingiu um nível inaceitável. Não podemos deixar que esta situação continue, é o meu apelo urgente”

O Conselho de Segurança da ONU tem-se debatido com a hostilidade de Moscovo e Pequim a qulquer resolução de sanções ou ao recurso à força.

Entretanto, no país, a cidade de Zabadani, na fronteira com o Líbano, a 30 quilómetros de Damasco, tornou-se no bastião do Exército Livre da Síria, constituído por militares desertores.

Um dos elementos desta força explica que o exército livre é constituído por soldados e oficiais que abandonaram as forças de Assad, que estão a matar civis. A missão deles é protegerem os civis em diversas áreas e uma delas é Zabadani e para isso têm estado a enfrentar as forças de segurança do regime.

O Conselho Nacional Sírio, que agrega as principais correntes da oposição, conseguiu pôr em funcionamento uma rede de ligação com o exército livre e um telefone vermelho para seguir os acontecimentos no terreno e no plano político.

Os combatentes dizem ter 40 mil homens no terreno, em operações regulares contra as forças militares sírias.