Última hora

Última hora

Conversa entre capitão e autoridade portuária revela novos dados

Em leitura:

Conversa entre capitão e autoridade portuária revela novos dados

Tamanho do texto Aa Aa

O comportamento do capitão do paquete acidentado na ilha italiana de Giglio depois do naufrágio ainda é uma incógnita, apesar das suspeitas de que não foi correto. Um registo sonoro da conversa entre o capitão do navio e o comandante da capitania do Porto de Livorno revela alguns detalhes sobre o que se passou.

Comandante do Porto: Por favor, regresse ao Navio, garanta-me que vai regressar ao navio.

Capitão do navio: Estou num salva-vidas. Estou aqui, não vou a lado algum. Estou aqui.

Comandante do Porto: o que está a fazer, capitão?

Capitão do navio: Estou a coordenar o salvamento.

Comandante do Porto: Mas o que é que está a coordenar daí? Vá a bordo, coordene a bordo. Está a recusar?

Capitão do navio: Não, não estou a recusar.

Comandante do Porto: está a recusar ir a bordo, capitão? Diga-me a razão pela qual não regressa ao navio?

Capitão do navio: Existe outro salva-vidas. (A barrar o caminho)

Comandante do Porto: Regresse ao Navio, é uma ordem . Não há nada que possa considerar. Declarou o abandono do navio, então eu assumo comando. Já já cadáveres.

Capitão do navio: Quantos mortos já existem?

Comandante do Porto: Não sei, ouvi falar de um morto. Mas você é que me deve dizer!.

Capitão do navio: Não tem noção que aqui é escuro e que não vemos nada?

Comandante do Porto: O que é que quer? Ir para casa? Está escuro e quer regressar a casa? Faz uma hora que me repete o mesmo. Agora, regresse ao navio e diga-me quantas pessoas estão lá!

Capitão do navio: Sim, comandante.

Comandante do Porto: Vá, depressa!