Última hora

Última hora

Francesco Schettino: o comandante da discórdia

Em leitura:

Francesco Schettino: o comandante da discórdia

Tamanho do texto Aa Aa

A polícia italiana prossegue a investigação para apurar a responsabilidade do comandante do Costa Concordia no naufrágio do navio.

Paralelamente à análise das caixas negras do paquete, os mergulhadores tentam recuperar o disco duro da ponte de comando, assim como os documentos da caixa forte do comandante.

Francesco Schettino encontra-se em prisão domiciliária na sua residência, em Meta di Sorrento, nos arredores de Nápoles.

Um vizinho afirma que conhece pessoalmente Schettino e que este, “fez tudo o que devia ter feito, estou orgulhoso do que fez”.

Uma vizinha indigna-se, “quem é que lhe disse que ele abandonou o navio? Como pode ter a certeza, estava lá para ver? Quem lhe disse, o procurador ou o capitão da guarda costeira que estava confortavelmente sentado na sala de controlo a gritar ordens pela radio?”.

Frente ao tribunal de Grosseto, Schettino afirmara que evitara um acidente mais grave ao ter dirigido o navio contra uma rocha. O comandante é acusado de homicídio por negligência, naufrágio e abandono do navio.

Segundo vários testemunhos, Schettino teria assistido, em terra, às operações de evacuação dos passageiros depois de rejeitar regressar ao navio.