Última hora

Última hora

Ucrânia tem de fazer mais pelos direitos do homem

Em leitura:

Ucrânia tem de fazer mais pelos direitos do homem

Tamanho do texto Aa Aa

A Ucrânia tem um longo caminho pela frente em matéria de defesa dos direitos humanos.

Quem o diz é o diplomata francês, François Zimeray.

O embaixador dos Direitos do Homem tentou visitar a ex-primeira ministra, Ioulia Timochenko, na prisão, mas foi impedido pelos serviços de segurança.

O diplomata lamenta a decisão e espera que Kiev não desperdice outras oportunidades:

“Vai haver, com certeza, oportunidade para outros encontros. O Euro 2012 é um evento importante, tal como a presidência da OSCE. E estas são ocasiões propícias ao diálogo, para questionar a Ucrânia. Espero que o país mostre, no futuro, ao mundo um maior respeito pela defesa dos direitos do homem do que hoje em dia.”

Detida desde agosto, Timochenko foi condenada a sete anos de prisão por abuso de poder.

A filha e advogada da antiga chefe de governo aponta o dedo a Viktor Yanukovich:

“O regime está a fazer tudo para aumentar a pressão moral e psicológica de Timoshenko.

Uma pressão que é diária com uma vigilância de 24/24 horas. E isso é ilegal. Talvez, por isso, não tenham deixado o embaixador visitá-la na prisão” afirma.

O caso Timochenko foi criticado pela União Europeia e pelos Estados Unidos que suspeitam de uma vingança política.

A antiga chefe de governo ucraniana foi transferida, em dezembro, de Kiev para uma prisão no leste do país.