Última hora

Última hora

Embargo petrolífero ao Irão aprovado pela UE

Em leitura:

Embargo petrolífero ao Irão aprovado pela UE

Tamanho do texto Aa Aa

Os países da União Europeia chegaram a acordo sobre o embargo petrolífero ao Irão. Não poderão ser firmados novos contratos com o governo de Teerão e os que estão em curso devem ser cancelados no máximo até 1 de Julho.

O acordo prevê ainda sanções contra o banco central iraniano e outras medidas financeiras.

A alta representante para a política externa da União, Catherine Ashton, espera que Teerão regresse ao diálogo: “Reiterei o que costumo dizer em todas as ocasiões: que o propósito desta pressão é persuadir o Irão a voltar à mesa das negociações”.

A fase de transição permitirá aos estados-membros mais dependentes do petróleo iraniano – como Grécia, Itália e Espanha – encontrarem alternativas.

Mas Bruxelas não aceita uma bomba atómica nas mãos do Irão, como realça o ministro dos Negócios Estrangeiros da Itália, Giulio Terzi di Sant’Agata: “Cremos que a prioridade a defender é a segurança, não só daquela região mas de toda a Europa. Por isso, é inevitável que haja consequências económicas”.

A correspondente da euronews em Bruxelas, Fariba Mavaddat, explica que “a decisão política sobre o embargo petrolífero e financeiro ao Irão já foi tomada pelos chefes da diplomacia da União Europeia, mas vai ser preciso mais tempo para encontrar uma solução que diminua o impacto do embargo na já enfraquecida economia europeia, nomeadamente no caso da Grécia, que tinha um contrato de baixo custo”.