Última hora

Última hora

Franquismo: defesa de Garzón pede anulação das queixas

Em leitura:

Franquismo: defesa de Garzón pede anulação das queixas

Tamanho do texto Aa Aa

Centenas de pessoas concentraram-se em frente ao Supremo Tribunal de Madrid para apoiar Baltasar Garzón.

O juiz espanhol começou a ser julgado, esta terça-feira, por ter investigado os crimes do franquismo.

Em causa está a violação de uma lei da amnistia geral aprovada em 1977, dois anos após a morte do ditador espanhol Francisco Franco.

O juiz alega se trata de crimes contra a humanidade.

A defesa de Garzón pediu, hoje, a anulação das queixas apresentadas pelo grupo de extrema-direita Mãos Limpas.

Um caso que envergonha muitos espanhóis:

“É uma vergonha estar a ser julgado por investigar os crimes do franquismo. É uma vergonha nacional e internacional” afirma uma mulher.

Se for condenado, o juiz que tentou investigar o destino de mais de 100 mil desaparecidos da guerra civil e da ditadura franquista, fica impedido de exercer funções durante 20 anos.

Uma pena que colocaria fim à carreira do magistrado que se tornou conhecido depois de ordenar a prisão do antigo ditador chileno, Augusto Pinochet.