Última hora

Última hora

Negócios online combatem a crise

Em leitura:

Negócios online combatem a crise

Tamanho do texto Aa Aa

Em tempos de crise profunda, a Comissão Europeia quer ajudar quem aposta no comércio eletrónico e nos negócios online como forma de crescer. Sobretudo porque os últimos estudos revelam que a economia da Internet cria 2,6 postos de trabalho por cada posto de trabalho que desaparece por causa da eficiência da rede.

O Comissário Antonio Tajani acredita que

“Se nós queremos ganhar a batalha contra a crise, é claro que temos que combater as dívidas públicas, mas ao mesmo tempo, é necessário empenharmo-nos no crescimento. Mas para a competitividade das empresas é fundamental mudar. E no centro da mudança está a tecnologia.”

Estas declarações foram feitas durante a conferência “The Single Market Oportunity 2012”, em Bruxelas, onde estiveram presentes representantes de Pequenas e Médias Empresas da Europa que viram na Internet grandes oportunidades de negócio. A gigante Google garante que está a trabalhar com milhões destes novos empresários.

Matt Brittin, vice-presidente da Google para o norte e centro da Europa explica que “temos visto que os pequenos negócios estão a aproveitar as grandes vantagens da Web. E fizemos alguns estudos económicos que mostram que a economia da internet, na Europa, já representa entre 3% e 7% do PIB, dependendo de cada país, e já está a criar milhões de empregos.”

A representar Portugal esteve em Bruxelas a Amen, empresa que gere domínios na Internet e dá apoio a empresas que querem ter sitios na rede. Nuno Matias lembra que “nós temos neste momento mais de 30 mil clientes, temos tido um crescimento bastante elevado: de 2010 para 2011 tivemos um crescimento de 30 por cento, em número de clientes. A faturação cresceu 6% por cento. É um segmento de mercado que tem muito para crescer.”