Última hora

Última hora

Costa Concordia: Proteção Civil italiana não espera milagres

Em leitura:

Costa Concordia: Proteção Civil italiana não espera milagres

Tamanho do texto Aa Aa

As buscas prosseguem a bordo do Costa Concordia. Para os elementos da Proteção Civil iltaliana, encontrar um sobrevivente no interior do navio de cruzeiro seria “um milagre”. O acidente ocorreu no dia 13. Até à data foram resgatados 16 corpos. Há 17 pessoas desaparecidas.

Entretanto, aperta-se o cerco à companhia proprietária do navio. O diretor-geral da Costa Crociere admitiu ontem, perante a comissão parlamentar de inquérito, que as manobras de saudação junto à costa são habituais na indústria dos cruzeiros marítimos. No entanto, Pier Luigi Foschi sublinhou que o comandante Schettino não tinha recebido autorização para realizar a manobra fatal e que navegava depressa demais.

A imprensa reproduziu na quarta-feira a gravação de uma conversa telefónica de Schettino, durante a qual afirma que a companhia pressionava os comandantes a efetuarem uma manobra de saudação. No registo, o capitão confessa ter abandonado o Costa Concordia assim que o navio começou a adernar.