Última hora

Última hora

Mais de 1300 presos quirguizes de lábios cosidos para denunciar condições de detenção

Em leitura:

Mais de 1300 presos quirguizes de lábios cosidos para denunciar condições de detenção

Tamanho do texto Aa Aa

O movimento de protesto dos detidos nas prisões do Quirguistão está a reforçar-se. São já mais de 1300 os presos que decidiram coser os lábios e perto de 7000 os que cumprem uma greve de fome para denunciar maus tratos e as condições de detenção na antiga república soviética da Ásia Central.

Os responsáveis do sistema penitenciário disseram no início do protesto, na terça-feira, que não vão responder às reivindicações.

O diretor de uma das doze prisões em causa defende que “não é um hotel, nem uma estância de férias. [Os prisioneiros] devem cumprir as sentenças”.

Desde 2005, as prisões quirguizes são regularmente teatro de motins e automutilações para denunciar más condições de detenção.

Na maior parte dos casos, as autoridades acusam o crime organizado de ter um papel chave nos protestos prisionais.