Última hora

Última hora

Egito: islamitas religiosamente favoritos nas eleições para o senado

Em leitura:

Egito: islamitas religiosamente favoritos nas eleições para o senado

Tamanho do texto Aa Aa

Os egípcios prosseguem a maratona de eleições democráticas que deverá culminar com as presidenciais em junho.

Depois do sufrágio para o parlamento, entre novembro e janeiro, é a vez de os eleitores escolherem os representantes para a “Choura”, o senado nacional.

Como para as primeiras eleições democráticas após a queda de Mubarak, os islamitas da Irmandade Muçulmana ocupam de novo o lugar de favoritos.

Um eleitor afirma, “temos também que dar a oportunidade aos islamitas de governarem e de provarem o que podem fazer. É uma escolha compreensível. Penso que temos que respeitar a voz do povo e se escolherem outros candidatos, temos também que respeitar o resultado”.

“Tenho oitenta anos e já vi de tudo durante a minha vida. Vi muitos candidatos e muitos bandidos e gente inconsciente, mas espero agora que, com a ajuda de Deus, possamos melhorar a nossa situação”.

O sufrágio que se inicia hoje deverá prolongar-se até dia 22 de fevereiro nas diversas regiões egípcias.

Desde os protestos que levaram à deposição de Osni Mubarak, que os partidos religiosos dominam o cenário político, tendo suplantado os movimentos laicos, na origem da revolta.

A Irmandade Muçulmana domina agora três quartos do parlamento e espera, com uma vitória nestas eleições, poder influir na nova constituição que deverá ser redigida por deputados e senadores.

Uma popularidade reforçada pelos protestos contra a permanência dos militares no poder, que na sexta-feira reuniram de novo milhares de pessoas na praça Tahrir do Cairo, o epicentro da revolta contra Mubarak há um ano.