Última hora

Última hora

Rússia opõem-se a sanções pedidas pela Liga Árabe contra Síria

Em leitura:

Rússia opõem-se a sanções pedidas pela Liga Árabe contra Síria

Tamanho do texto Aa Aa

Com o apoio das nações ocidentais, a Liga Árabe e o Qatar instaram o Conselho de Segurança das Nações Unidas a aprovar sanções no sentido de forçar o regime Sírio a aceitar o plano Árabe que prevê o afastamento de afastar Bashar al-Assad do poder.

Mas as aspirações da Liga Árabe esbarram na oposição da Rússia, que com direito de veto insiste numa solução moderada, depois de sempre ter evitado condenar Damasco.

Os Estados Unidos justificam o apoio à Liga Árabe. “Até à data as provas são claras de que as forças de Bashar al-Assad estão a perpetrar todo o género de ataques mortíferos contra os civis. E à medida que mais cidadãos pegam em armas para resistir à brutalidade do regime, a violência tende para uma espiral descontrolada”, declarou Hillary Clinton.

A Rússia advoga que não cabe ao Conselho de Segurança decidir questões internas dos Estados. Vitaly Churkin, embaixador russo na ONU: “simplesmente, o Conselho de Segurança não tem essa autoridade, o Conselho de Segurança não pode prescrever receitas instantâneas para o desfecho de processos políticos domésticos (…) senão, passa a dizer que Rei deve demitir-se, que primeiro-ministro deve ser afastado. Esta não é de facto a competência do Conselho de Segurança”, referiu.

A Liga Árabe exclui ações militares. Pretende uma pressão económica através de sanções para fazer com que o regime sírio perceba que é imperativo responder às exigências do povo.