Última hora

Última hora

Tragédia grega

Em leitura:

Tragédia grega

Tamanho do texto Aa Aa

O tempo de glória do futebol grego, com estádios cheios de adeptos fanáticos e estrelas internacionais nos relvados já lá vai. A crise chegou ao desporto rei.

O cenário atual dificilmente podia ser mais desolador. Estádios vazios e degradados, clubes que tal como o país viveram demasiado tempo acima das suas possibilidades.

A machadada final para o futebol grego aconteceu em maio, quando a empresa pública de apostas que patrocinava a Liga suspendeu o pagamento como forma de protesto contra a violência crescente nos estádios do país.

Os futebolistas do segundo e terceiro escalão, obrigados a pedir dinheiro para sobreviver, estão desde esta quarta feira em greve não só contra os salários em atraso, mas também contra a ausência de seguros de saúde para todos.

Com a média de espetadores nos estádios a cair vertiginosamente, o adiamento dos jogos devido à greve pode muito bem significar o início irremediável de uma morte lenta e agonizante para o futebol no país que venceu o Campeonato da Europa em 2004.