Última hora

Última hora

Investigação no Egito

Em leitura:

Investigação no Egito

Tamanho do texto Aa Aa

O maior desastre da história do futebol egípcio deixou marcas no estádio de Port Said e amargura no coração dos adeptos. As claques uniram-se em defesa do bom nome e acusam os ex-seguidores de Mubarak de organização do massacre.

No Cairo, milhares de pessoas continuam a exigir um esclarecimento sobre o que se passou na quarta-feira e a defender um Egito livre.

O sentimento generalizado é que os ultras – claque da equipa Al Ahly – foram alvo de uma represália pelo papel ativo nas manifestações da Praça Tahrir que originaram a queda do regime de Mubarak, em fevereiro de 2011..

‘’- Sou do Al Atras, do Al Ahly e culpo a policía do sucedido. Normalmente, revistam-nos antes de entrarmos no estádio, e desta vez não. “

“- Os ataques contra os adeptos do Al Ahly estavam preparados. Como se justificaria que os da outra equipa arruinassem o jogo quando estavam a ganhar? Não tem sentido.”

As acusações sobre os atacantes, que se ouvem no Cairo, são confirmadas pelas pessoas que estiveram no estádio: as agressões visaram diretamente as claques e os agressores estavam armados e desferiram os golpes com violência.

Mohamed Abdel Aziz estava lá e relata:

“- Empurravam-nos dos assentos da parte de cima. Os que não conseguiram agarrar-se morreram. Os agentes de segurança não fizeram absolutamente nada para evitar isto. Eu fui esfaqueado nas mãos e na cabeça.”

A causa desta operação pode não ser apenas por mera vingança do papel da claque Ultra na queda do regime, mas para desencorajar a continuação das manifestações em que exigem a total demissão do dos militares do poder.

Há deputados aolado dos manifestantes, que exigem o esclarecimento da situação:

Moustafa Bakry alega:

“- A verdadeira intenção é provocar a queda do Estado egício. os eventos foram planeados, não houve coincidências. Havia planos de apoiantes do antigo regime.”

O Al Ahly é um clube muito forte, com 50 milhões de adeptos em todo o mundo. Os futebolistas do clube são os heróis dos egípcios.

Estavam todos na manifestação em que os agentes de Hosni Mubarak lançaram o ataque com camelos e cavalos …

A investigação em curso vai apurar responsabilidades, nomeadamente quanto à falta de prevenção e ao comportamento negligente dos agentes de segurança.