Última hora

Última hora

Rússia: a contramanifestação como estratégia de campanha

Em leitura:

Rússia: a contramanifestação como estratégia de campanha

Tamanho do texto Aa Aa

A batalha das manifestações marca o início da campanha para as presidenciais de março na Rússia.

O campo pró-Putin clama vitória depois de afirmar ter reunido ontem mais de 120 mil pessoas em Moscovo, numa contra-manifestação, no mesmo dia de um dos maiores protestos de sempre da oposição.

Vladimir Putin admitiu ontem que certas administrações regionais poderiam ter feito alguma pressão para tentar reunir os milhares de apoiantes.

Objetivo, tentar esmagar em número aquela que foi a maior manifestação de sempre contra a recandidatura de Putin, no poder há 13 anos.

Segundo a polícia 30 mil pessoas participaram no protesto, embora os organizadores falem de mais de uma centena de milhar.

Mas o feitiço pode agora virar-se contra o feiticeiro.

As autoridades de Moscovo decidiram multar o campo pró-Putin por ter excedido o número de manifestantes previsto na autorização concedida pela municipalidade.

O candidato afirmou-se disponível para pagar a multa aos seus apoiantes, numa campanha cada vez mais dispendiosa.

Segundo algumas fontes o desfile pró-Putin de ontem teria já custado 152 mil euros aos cofres do Estado.