Última hora

Última hora

Impasse grego irrita duo "Merkozy"

Em leitura:

Impasse grego irrita duo "Merkozy"

Tamanho do texto Aa Aa

A Grécia deixou passar mais um prazo para um acordo sobre as novas medidas de austeridade e aproxima-se de uma crise governamental que deixa o país em maus lençóis com a “troika” de credores, constituída pelo Banco Central Europeu, pela União Europeia e pelo FMI.

Os líderes dos três principais partidos da coligação de governo adiaram a reunião prevista para esta segunda-feira e continuam num impasse, o que está a irritar o duo Sarkozy-Merkel.

Diz o presidente francês: “A Europa é um lugar onde todos têm direitos, mas também têm obrigações. Ninguém pode fazer valer os direitos sem respeitar as obrigações. O tempo está a acabar. É uma questão de dias. É preciso decidir e assinar”.

A França e a Alemanha têm vindo a assumir a liderança, ao nível da União Europeia, do grupo de países credores. O já chamado duo “Merkozy” apresentou aqui uma nova ideia: “Eu apoio, tal como disse o presidente francês, a ideia de que o pagamento de juros da dívida seja feito para uma conta separada, de forma a que a Grécia possa ter a certeza de ter dinheiro quando chegar a altura”, disse a chanceler alemã.

A “troika” impôs novas medidas de austeridade para um novo empréstimo de 130 mil milhões de euros e o perdão de outros 100 mil milhões, mas os partidos que apoiam o governo de Lucas Papademos não chegam a acordo. Os dois partidos de direita, a Nova Democracia e o Laos, estão contra medidas como a redução do salário mínimo em 20%. Medidas que prometem trazer o descontentamento de volta às ruas.