Última hora

Última hora

Segurança e economia nas prioridades da Tunísia

Em leitura:

Segurança e economia nas prioridades da Tunísia

Tamanho do texto Aa Aa

Moncef Marzouki, o presidente da Tunísia, com dois escassos meses de funções, mas com enormes problemas pela frente.

O restabelecimento da segurança e as questões económicas e sociais são a sua grande prioridade.

O país está num impasse.

Aguarda por medidas concretas, que promovam a economia.

É disso que ele fala, numa entrevista que concedeu â EuroNews:

“É preciso que as pessoas compreendam que este governo está em funções há dois meses. São precisos dois ou três anos para fundar as bases sólidas de uma economia para o país. O Governo está numa fase de colocar pedras angulares e fazer reformas fundamentais, de que veremos os resultados, dentro de cinco anos, ou talvez menos. É isto que as pessoas devem compreender”.

Um apelo do presidente, para uma população que, um ano depois da revolução, ainda não sente qualquer melhoria, nas suas condições de vida.

Apesar disso, o presidente reclama o papel pioneiro da Tunísia, na primavera árabe:

“Nós fomos o primeiro país a fazer uma revolução e olham-nos como um modelo. Isso é um orgulho nacional, mas também nos cria o dever de ajudar. Como podemos ajudá-los? Nós somos contra a intervenção militar, mas, ao menos simbolicamente, nos recusamos que a bandeira do Baas seja içada, no nosso país. Fomos nós que tomámos essa decisão”.

Moncef Marzouki, o intelectual que se opõs ao regime de Ben Ali e isso obrigou-o ao exílio.

Agora, como presidente da Tunísia, concedeu uma entrevista à EuroNews que pode ser vista, a partir da noite desta terça-feira.