Última hora

Última hora

Crise nas Maldivas ainda não afeta turismo

Em leitura:

Crise nas Maldivas ainda não afeta turismo

Tamanho do texto Aa Aa

A crise política nas Maldivas ainda não se estendeu ao setor turístico, principal fonte de receitas do país.

A euronews falou por telefone com o chefe da delegação da União Europeia para o Sri Lanka e as Maldivas, Bernard Savage:

“Neste momento, dada a informação de que dispomos, não podemos dizer que houve qualquer infração às regras constitucionais. Não estamos a tomar partidos mas, como deixou claro a [chefe da diplomacia europeia] Catherine Ashton, apoiamos a ordem constitucional, o Estado de Direito e a continuação da democracia. Esperamos que todas as partes se abstenham de ações violentas e retórica inflamatória, para garantir que a transição democrática nas Maldivas continua.”

Savage sublinha que os turistas estrangeiros não são afetados de momento pela crise política no arquipélago:

“A maioria dos turistas chega às Maldivas pela ilha Hulhule, longe da [capital] Malé e vão diretamente para as estâncias. Nas Maldivas, as estâncias estão todas localizadas em ilhas classificadas como ‘inabitadas’, porque não há cidadãos das Maldivas que vivem nelas. Não há qualquer indicação de perigo físico. As operações na ilha de Hulhule estão a decorrer normalmente. A questão da publicidade que [a situação] trará para as Maldivas é algo que veremos com a passagem do tempo, mas é claro que a instabilidade política nunca é um bom cartaz para um país.”