Última hora

Última hora

Egito: Um ano depois da queda de Mubarak egípcios exigem fim do regime militar

Em leitura:

Egito: Um ano depois da queda de Mubarak egípcios exigem fim do regime militar

Tamanho do texto Aa Aa

Calma relativa nas ruas do Cairo e mais precisamente na Praça Tahrir, no dia em que faz um ano que Hosni Mubarak deixou o poder.

No entanto, 12 meses mais tarde, os egípcios dizem não ter razões para celebrar e continuam a exigir que o regime militar abandone o poder.

Mas as reivindicações deste grupo de militantes pró-democracia não parecem recolher o apoio de todos.

“Devíamos viver este dia como uma celebração em vez de fazermos apelos à desobediência civil. Mubarak demitiu-se e todos se sentem mais confortáveis. Livrámo-nos da corrupção de Mubarak”, defende este egípcio.

Um dos principais visados pelos manifestantes é o marechal Mohamed Tantawi, ministro da Defesa do regime de Mubarak de 1991 até à revolução e desde então líder do Conselho Supremo das Forças Armadas.

Os militantes pró-democracia egípcios apelaram à greve geral este sábado, como forma de pressionar os militares a abandonar o poder. O exército respondeu ao apelo com o anúncio do reforço da segurança um pouco por todo o país.