Última hora

Última hora

Temperaturas extremas já mataram mais de 600 pessoas na Europa

Em leitura:

Temperaturas extremas já mataram mais de 600 pessoas na Europa

Tamanho do texto Aa Aa

Itália continua em alerta elevado devido aos nevões que se têm abatido sobre o país.

Roma foi uma das cidades mais afetadas. Há mais de uma semana que escolas e parte das repartições públicas estão fechadas. A proteção civil tem redobrado os esforços para que os transportes públicos funcionem normalmente.

As últimas quedas de neve na capital italiana datam de 1986, mas não atingiram as proporções deste inverno.

Mas a neve não se tem abatido só sobre a capital. O sul do país também está coberto por um ligeiro manto branco.

Este idoso diz que vive com a mulher. Tem eletricidade, mas não tem conseguido ter pão.

Na Croácia, a situação é ainda pior. Os ventos fortes e as temperaturas negativas extremas deixaram milhares de pessoas sem eletricidade um pouco por todo o país.

A região do leste é a mais afetada na Europa. Com mais uma noite glacial entre sexta e sábado, o número de mortos em todo o continente já ultrapassou os 600, sendo a grande maioria registada nos países de leste.

O país mais afetado é a Ucrânia, onde para já há registo de 135 mortes diretamente relacionadas com o frio.