Última hora

Última hora

Peru: Sendero Luminoso "decapitado"

Em leitura:

Peru: Sendero Luminoso "decapitado"

Tamanho do texto Aa Aa

O último dos líderes do Sendero Luminoso foi detido este domingo na floresta Amazónia.

O “camarada Artemio” – Florindo Eleutério Flores, de 47 anos, foi encontrado ferido a tiro numa cabana do Alto Huallaga, próximo do rio Mishollo, durante uma operação militar.

Artémio era o último dirigente em liberdade do comité histórico do Sendero Luminoso e tinha a cabeça a prémio por 350 mil dólares por parte do governo do Perú e cinco milhões de dólares pelos Estados Unidos.

O Sendero Luminoso foi uma das guerrilhas mais sangrentas da América Latina. O conflito entre as forças armadas peruanas e os rebeldes fez ao longo de duas décadas mais de 70 mil mortos.

O declínio do grupo começou em 1992 com a detenção do líder histórico Abimael Guzman, restando apenas em duas áreas do território do Perú e com ligações quase exclusivas ao tráfico de droga.

A prisão deste lider da guerrilha que tinha passado à clandestinidade há 20 anos, é uma importante vitória do presidente Ollanta Humala, que chegou ao poder em Julho de 2011.

Humala foi um dos oficiais do exército do Perú que lutou contra a guerrilha do Sendero Luminoso, nos anos 90, na região em que operava Artémio.