Última hora

Última hora

Atenas acusa: "alguns parceiros europeus gostariam de ver a Grécia fora da eurozona"

Em leitura:

Atenas acusa: "alguns parceiros europeus gostariam de ver a Grécia fora da eurozona"

Tamanho do texto Aa Aa

Desilusão na Grécia. Mercados em baixa e reação política forte à decisão do eurogrupo de adiar a reunião prevista para esta quarta-feira, para concluir o debate sobre o novo plano de ajuda ao país.
 
Atenas diz que já fez o suficiente e pede consideração aos ministros das Finanças da União Europeia.
 
Bruxelas quer garantias escritas de que as diversas forças políticas se comprometem a pôr em prática as medidas acordadas após as eleições legislativas de Abril.
 
O ministro das Finanças, Evangelos Venizelos,  já não tem pudor em acusar: “Existem agora claramente poderes dentro da Europa que estão a brincar com o fogo, porque acreditam que as  decisões do Conselho Europeu de 26 de outubro podem não ser implementadas,  não querem aderir às condições acordadas e gostariam de ver a Grécia fora da eurozona”.
 
Para tranquilizar os parceiros, o Partido Socialista (PASOK) já enviou uma carta de comprometimento e os conservadores da Nova Democracia prometem fazê-lo ainda hoje.
 
Até o presidente da República, Carolos Papoulias, quis simbolicamente comprometer-se e solidarizar-se com as dificuldades do povo, renunciando ao salário.