Última hora

Última hora

Bancos gregos em situação crítica

Em leitura:

Bancos gregos em situação crítica

Tamanho do texto Aa Aa

A Grécisa continua a ser o centro de gravidade da crise da zona euro e, quase de certeza, o assunto será mais uma vez discutido, na ciimeira europeia desta semana.

Apesar de não constar da agenda, será um tema incontornável.

A dívida pública ascende a 300 mil milhões de euros e o défice é o maior, dos últimos 16 anos.

A economia está a ter o pior desempenho, das últimas décadas e os bancos atravessam uma situação crítica

Um analista financeiro diz que os jogos políticos não estão a ajudar a resolver a questão:

“Eu penso que uma bancarrota descontrolada pode acontecer à Grécia, se o Gobverno não fizer tudo para a evitar. Penso que a história não se resolve com eleições. O fim da História está na eficácia das aplicações. A Europa está a ter dificuldade para resolver o assunto, com o Estado grego, ou com o governo grego. Os partidos políticos gregos continuam a jogar este jogo, mesmo apesar de a situação estar cada vez pior”.

A agência de notação Moody’s baixou esta quinta-feira o rating de 114 instituições financeiras europeias, o que é visto como uma consequência da situação grega.

Sem solução para a dívida grega não se vê que a questão possa ser revertida, com todos os prejuízos, para a zona Euro.

A chanceler alemã, Angela Merkel parece agora mais assustada que nunca e disse que a responsabilidade da situação é comum e deve ser assumida, por todos os parceiros da União Europeia.