Última hora

Última hora

Os contornos do novo plano de resgate à Grécia

Em leitura:

Os contornos do novo plano de resgate à Grécia

Tamanho do texto Aa Aa

Foi em Maio de 2010 que a Grécia assinou o primeiro plano de resgate com a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional. Tratou-se de um empréstimo de 110 mil milhões de euros. Dois anos depois o país está de novo à beira da bancarrota.

O novo pacote de resgate à Grécia prevê um empréstimo de 130 mil milhões de euros e a supressão de 100 mil milhões de euros de dívida por parte dos credores privados. Como moeda de troca, Atenas terá de efetuar cortes no valor de 3,3 mil milhões de euros. 150 mil empregos devem ser suprimidos até 2015.

“Não há muita confiança de que vamos alcançar os nossos objetivos este ano, como o défice que era originalmente de cerca de 5,4%. Mas eu acredito que com esforços significativos podemos aproximar-nos deste alvo e se tudo correr bem com as privatizações, pode haver um limite para a dívida”, diz o analista financeiro Nikos Christodoulou.

Antes de receber quaisquer fundos em março, o Governo deve aprovar os cortes na despesa, no valor de 3,3 mil milhões de euros, o equivalente a 1,5% do PIB para este ano.