Última hora

Última hora

"Museu da revolução" inaugurado no Cairo

Em leitura:

"Museu da revolução" inaugurado no Cairo

Tamanho do texto Aa Aa

O Egito recorda os derradeiros dias do político apelidado como “o último faraó” numa exposição fotográfica dedicada à revolução de há um ano.

Ao longo de quase uma centena de fotografias e num Cairo desertado pelos turistas, um centro de exposições dedicado à vida dos faraós inaugurou um “museu da revolução”.

São retratos dos dias da revolta que levaram à queda de Hosni Mubarak e das manifestações que ao longo do país mobilizaram milhares de pessoas.

Somia veio de Alexandria para visitar a exposição e recordar as semanas de mobilização:

“Esta fotografia foi tirada em Alexandria. Eu participei nesta manifestação, foram momentos inesquecíveis. Todos saímos à rua para pedir a mesma coisa, a demissão imediata de Mubarak”.

A exposição foi inaugurada há uma semana e deverá prolongar-se até ao final do mês. Uma prova de que apesar das dúvidas e inquietações sobre o futuro, os egípcios não deixam de pensar que a sua revolução vai ficar para a história.

O correspondente da euronews no Cairo lembra que num país como o Egito, terra de civilizações históricas, a população continua a celebrar a queda do último faraó, o presidente Mubarak”.