Última hora

Última hora

Síria: 100 mortos enquanto se intensificam apelos a ajuda humanitária

Em leitura:

Síria: 100 mortos enquanto se intensificam apelos a ajuda humanitária

Tamanho do texto Aa Aa

Ativistas sírios denunciaram a morte de pelo menos uma centena de pessoas esta terça-feira em ataques das forças do regime de Bashar Al-Assad.

Sem resposta de Damasco a uma proposta de cessar-fogo, o Comité Internacional da Cruz Vermelha apelou a “pausas quotidianas de pelo menos uma ou duas horas” para permitir o envio de ajuda humanitária à cidade rebelde de Homs, sitiada e intensamente bombardeada pelo Exército sírio.

Face à violência incessante, os Estados Unidos dão sinais de perder a paciência. Depois de recusar armar os rebeldes, Washington equaciona agora outras opções.

A porta-voz do Departamento de Estado, Victoria Nuland, disse que “se Al-Assad não ceder à pressão [internacional], terão de ser consideradas medidas adicionais”.

O Conselho Nacional Sírio, principal instância da oposição, pediu à comunidade internacional para obter o fim do cerco a Homs no encontro de países árabes e ocidentais de sexta-feira na Tunísia. A Rússia, principal aliada de Damasco, não estará presente.

A Human Rights Watch denunciou o uso de morteiros russos particularmente potentes no bombardeamento de Homs.