Última hora

Última hora

Conferência do grupo dos "Amigos da Síria" termina com apelo a Bashar al-Assad

Em leitura:

Conferência do grupo dos "Amigos da Síria" termina com apelo a Bashar al-Assad

Tamanho do texto Aa Aa

A conferência do grupo dos “Amigos da Síria” ficou aquém das expectativas. Alguns dos participantes esperavam decisões mais concretas relativamente ao regime de Damasco, mas a reunião acabou por se saldar por uma mera declaração de intenções e um apelo para que Bashar al-Assad ponha um termo à violência.

Em conferência de imprensa, a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton disse ter falado “para aqueles que apoiam diretamente Assad, incluindo os membros das forças de segurança. Continuar a matar os próprios irmãos e irmãs é uma nódoa na sua honra. Recusar dar continuidade ao massacre fará deles heróis não só para os Sírios, mas para os povos de bom senso do mundo inteiro.”

Hillary Clinton esteve ainda reunida com o ministro dos Negócios Estrangeiros da Arábia Saudita que considerou ser uma “boa ideia” armar a oposição “para que se possa defender”. Depois de ter discursado no decorrer da conferência Saud Al-Faisal e a sua delegação abandonaram a reunião, lamentado que esta só trate da questão da ajuda humanitária.

O início da conferência em Tunes, a capital tunisina, decorreu num ambiente extremamente tenso. Centenas de apoiantes do regime de Bashar al-Assad tentaram forçar a entrada no hotel onde se reuniram delegações de 60 países e organizações internacionais.

Uma nova conferência do grupo de “Amigos da Síria” vai realizar-se dentro de três semanas em Istambul.