Skip to main content

|

Mais de 6000 sírios procuraram refúgio no Líbano.

Segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados a maioria encontra-se no norte do país. O fluxo tem vindo a aumentar. Só em janeiro, um milhar de sírios atravessou a fronteira libanesa.

Fogem da violência e da fome de cidades, como Homs, onde falta quase tudo.

O medo faz com que poucos aceitem falar para as câmaras de televisão e é de rosto coberto que esta mulher pede ajuda à comunidade internacional:

“Queremos que sejam impostas sanções contra o regime de Bashar al-Assad e que o presidente se demita. Chega de opressão. Tivemos de abandonar as nossas casas. Eu estou aqui há sete meses e não sei nada sobre a minha família. Espero poder voltar ao meu país um dia.”

Muitos acreditam que só a pressão internacional pode aliviar o sofrimento do povo sírio

“Queremos que Bashar al-Assad apresente a demissão e que sejam criados corredores humanitários. Mas mais importante, são precisos hospitais que entretanto, se transformaram em prisões. Neste momento as pessoas estão a ser tratadas em hospitais improvisados”

A Amnistia Internacional já admitiu que os hospitais estatais sírios estão a ser utilizados para torturar os manifestantes.

Copyright © 2014 euronews

Mais informação sobre
|

Login
Por favor, introduza os seus dados de login