Última hora

Última hora

UE endureceu sanções contra a Síria

Em leitura:

UE endureceu sanções contra a Síria

Tamanho do texto Aa Aa

A União Europeia aprovou o reforço de sanções contra a Síria, para aumentar a pressão sobre o regime do Presidente Bashir al Assad.

Os ministros dos Negócios Estrangeiros, reunidos em Bruxelas, centraram-se nas medidas económicas, mas o governante holandês gostaria de ir mais longe: “Tentaremos fazer o máximo para organizar, assim que possível, uma missão de manutenção de paz para a Síria. Mas manter a paz exige, em primeiro lugar, estabelecer a paz. Logo, a prioridade é pôr um fim à violência em curso na Síria”, disse Uri Rosenthal.

Por ora, foi decidido o congelamento de fontes de receita para o regime como os depósitos em bancos europeus, a importação de metais preciosos e compra de petróleo, entre outras.

Mais difícil para Bruxelas é encontrar um novo interlocutor, com a chefe da diplomacia europeia a admitir que não existem condições para reconhecer uma determinada força da oposição. “Trabalhamos com todas as pessoas que tentam encontrar uma solução”, disse Catherine Ashton.

Por outro lado, Bruxelas ainda não convenceu o Conselho de Segurança da ONU a agir, devido ao veto de dois aliados de al Assad, como explica a correspondente da euronews em Bruxelas, Fariba Mavaddat: “Embora a UE se tenha comprometido a ajudar a derrubar o regime do presidente Assad, é difícil ver como cumprirá essa promessa sem antes reconhecer um movimento de oposição como representante legítimo do povo sírio e sem que tome medidas concretas face à posição oposta da Rússia e da China.”