Última hora

Última hora

França: Tribunal constitucional chumba "lei do genocídio arménio"

Em leitura:

França: Tribunal constitucional chumba "lei do genocídio arménio"

Tamanho do texto Aa Aa

O tribunal constitucional francês chumbou a denominada lei da negação do genocídio arménio. O texto, aprovado pelas duas câmaras do parlamento, pretendia criminalizar a negação do alegado massacre cometido pelas tropas otomanas em 1915. Os magistrados consideraram a lei contrária à liberdade de expressão. Mas o presidente Nicolas Sarkozy deu de imediato instruções para os parlamentares redigirem uma nova versão.

A Turquia, que tinha congelado as relações diplomáticas com a França, reagiu favoravelmente à decisão do tribunal. “O tribunal constitucional francês tomou a decisão correta do ponto de vista do direito internacional, dos direitos humanos e dos valores europeus que todos nós defendemos”, declarou o chefe da diplomacia de Ancara, Ahmet Davutoglu.

A comunidade arménia de França, que conta cerca de 500.000 pessoas e rende muitos votos na política gaulesa, denunciou uma decisão política: “O conselho constitucional cedeu às pressões da Turquia e ao lóbi militar-industrial” acusou o Conselho das Organizações Arménias de França.

A Turquia reconhece a morte de milhares de arménios em 1915, assim como de milhares de turcos, vítimas de confrontos interétnicos. Já a Arménia afirma que o império otomano matou de forma deliberada um milhão e meio de arménios.