Última hora

Última hora

Putin acusa oposição de preparar fraudes para difamá-lo

Em leitura:

Putin acusa oposição de preparar fraudes para difamá-lo

Tamanho do texto Aa Aa

Vladimir Putin multiplica as críticas aos opositores, a três dias das presidenciais.

O primeiro-ministro candidato afirmou que os opositores seriam capazes de falsificar votos ou mesmo “abater um dos seus membros” só para poder ter novos argumentos contra ele.

Várias ONG’s russas denunciam hoje as pressões de Putin e a omnipresença do candidato nos media russos.

Um dos 37 observadores do Conselho da Europa, Tiny Cox, afirma, “nós não estamos aqui para julgar o desenrolar da eleição mas para observar da mesma forma que o fizemos durante as eleições parlamentares”.

O conselho da Europa tinha exprimido sérias dúvidas sobre os vários casos de fraude durante o último sufrágio. No total 667 observadores estão acreditados.

“Temos de acreditar no que nos dizem os candidatos presidenciais que querem eleições livres, é o que diz Putin e o que dizem todos e temos que pensar que dizem a verdade. A questão é de saber se todos os responsáveis no terreno pensam o mesmo ou se só o dizem para agradarem os seus superiores”, afirma Edward Lee, também do Conselho da Europa.

A ONG Golos, que supervisiona de forma independente o sufrágio afirmou hoje temer fraudes ao nível dos votos por procuração e que, como no passado, várias empresas públicas forcem os seus trabalhadores a votar por um determinado candidato.

Numa sondagem publicada no início de fevereiro por um instituto independente, 42% dos entrevistados afirmavam que os observadores do escrutínio seriam incapazes de evitar fraudes durante as eleições. No mesmo estudo de opinião 69% recusavam aceitar trabalhar como observadores no escrutínio de domingo.