Última hora

Última hora

Audiência preliminar do caso Costa Concordia este sábado

Em leitura:

Audiência preliminar do caso Costa Concordia este sábado

Tamanho do texto Aa Aa

A justiça italiana vai realizar uma audiência preliminar este sábado sobre o caso Costa Concórdia. O navio de cruzeiro adornou junto à ilha de Giglio em janeiro. O acidente causou pelo menos 25 mortos, 7 pessoas continuam desaparecidas.

O comandante do Costa Concordia não estará presente na audiência que se vai realizar num teatro de Grosseto para acolher todos quantos desejam assistir aos trabalhos da justiça. O advogado de Francesco Schettino, Bruno Leporatti, explica porquê: “O comandante Schettino não vai estar na audiência preliminar porque não é necessário meter-se numa viagem de ida e volta de 850 quilómetros e também porque, com este clima que foi criado à volta dele pode ser muito perigoso.”

Schettino encontra-se em prisão domiciliária na sua residência de Meta di Sorrento, nas proximidades de Nápoles. Os seus vizinhos compreendem a sua atitude: “Vamos esperar para ver o que diz o tribunal antes de o condenarmos. Este homem foi executado muito antes do julgamento começar, e foram vocês, os jornalistas, que o executaram. Não sei onde pode chegar esta situação.”

Entretanto os trabalhos prosseguem no Costa Concordia em busca dos restantes corpos. O irmão de Kevin Rebello, da Índia, trabalhava no navio: “Tenho pena da sua mulher e sobretudo da sua filha porque é muito nova e não vai à escola, ela tinha um pai e perdeu-o.”

Além do comandante Schettino, acusado de homicídio involuntário e de abandono do navio, sentam-se no banco dos réus o imediato, sete oficiais do Costa Concordia e executivos da companhia proprietária do navio de cruzeiro.