Última hora

Última hora

200 detenções em manifestações anti-Putin

Em leitura:

200 detenções em manifestações anti-Putin

Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de russos reuniram-se na praça Pushkin de Moscovo sob o lema uma “Rússia sem Putin”.

Entre 14 e 20 mil pessoas contestavam as presidenciais de domingo, classificadas como uma “farsa”, denunciando uma autoridade “ilegítima”.

O protesto, organizado por vários grupos da oposição e autorizado, decorreu de forma pacífica e sem detenções.

O líder da oposição e antigo campeão mundial de xadrez, Garry Kasparov, diz que “muitos russos, sobretudo em Moscovo, não vão aceitar Vladimir Putin como presidente legítimo. Mesmo se sobreviver a Março e aos dois meses que se seguem à tomada de posse, está bastante ferido – talvez mortalmente – como líder político e não sobreviverá aos próximos seis anos”.

Outro protesto não autorizado, realizado pela formação “Outra Rússia” junto à sede da Comissão Eleitoral, terminou com uma centena de detenções, incluindo a do escritor e líder do partido Edouard Limonov.

Em São Petersburgo, também foram efetuadas cem detenções noutra manifestação anti-Putin.