Última hora

Última hora

Guia Supremo Khamenei consolida poder no Irão

Em leitura:

Guia Supremo Khamenei consolida poder no Irão

Tamanho do texto Aa Aa

O Guia Supremo de Irão, o Ayatolah Ali Khamenei, é o grande vencedor das legislativas de sexta-feira.

Os seguidores ganharam a maioria dos assentos parlamentares (os reformistas não concorreram), e o alto índice de participação, segundo os dados oficiais, reforça a legitimidade popular do poder religioso, que está, de certo modo a ser julgado desde as acusações de fraude nas presidenciais de 2009, ganhas por Mahmud Ahmadinejad.

Desta vez, o presidente iraniano aparece como grande derrotado, pois os apoiantes declarados só conseguiram 7% dos lugares face aos 75% obtido pelas listas de Ali Khamenei. Oficialmente, também.

O presidente, que exerce o segundo e último mandato, paga o preço do nacionalismo populista, visto pela elite religiosa como uma ameaça à primazia política na República islâmica e ao fracasso da política económica, afundada por uma inflação galopante (oficialmente 21%, na realidade cerca de 50%) que penaliza a população.

Numa iniciativa sem precedentes, o presidente
Ahmadinejad deve ser convocado esta semana pelo parlamento para responder à susposta ineficácia do governo e sobre alegados casos de corrupção.

Se Khamenei der luz verde, Ahmadinejad pode mesmo ser destitudo.

O analista iraniano Emad Abshenasan considera a posição do presidente muito frágil:

“O Governo de Ahmadinejad vai tentar aumentar a interação com o novo parlamento, e os membros do governo vão tentar evitar confrontar-se com o novo parlamento”

Já em abril, o Ayatolah Alí Khamenei desautorizou o presidente ao reconduzir no cargo o ministro da Informação, destituído previamente por Ahmadinejad.

Agora, com um Parlamento favorável, o Guia Supremo pode desembaraçar-se diretamente da figura do presidente, eleito por sufrágio universal direto, e optar por um sistema parlamentar com um primeiro-ministro.